Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

ROTEIRO DE ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA E GEOGRAFIA 8º ANO

lÍNGUA PORTUGUESA

Até 50% dos alimentos vai para o lixo.

Essa frase está correta?

Abaixo há algumas regras para que você se atente nas próximas vezes que for combinar o sujeito com o verbo.

Concordância Verbal

Concordância verbal é a relação estabelecida de forma harmônica entre sujeito e verbo. Isso quer dizer que quando o sujeito está no singular, o verbo também deve estar; quando o sujeito estiver no plural, o verbo também estará.

    Exemplos:

Eu adoro quando as flores desabrocham na Primavera.

Elas adoram quando as flores desabrocham na Primavera.

Cristina e Eva entraram no hospital.

1. Sujeito composto antes do verbo

Quando o sujeito é composto e vem antes do verbo, esse verbo deve estar sempre no plural.

Exemplo:

Maria e José conversaram até de madrugada.

2. Sujeito composto depois do verbo

Quando o sujeito composto vem depois do verbo, o verbo tanto pode ficar no plural como pode concordar com o sujeito mais próximo.

Exemplos:

Discursaram diretor e professores.
                 Discursou diretor e professores.

3. Sujeito formado por pessoas gramaticais diferentes

Quando o sujeito é composto, mas as pessoas gramaticais são diferentes, o verbo também deve ficar no plural. No entanto, ele concordará com a pessoa que, a nível gramatical, tem prioridade.

Isso quer dizer que 1.ª pessoa (eu, nós) tem prioridade em relação à 2.ª (tu, vós) e a 2.ª tem prioridade em relação à 3.ª (ele, eles).

Exemplos:

Nós, vós e eles vamos à festa.
                    Tu e ele falais outra língua?

4. Sujeito coletivo

Nesta situação, o verbo fica sempre no singular.

Exemplo:

A multidão ultrapassou o limite.

Por outro lado, se o coletivo estiver especificado, o verbo pode ser conjugado no singular ou no                                             plural.

Exemplo:

A multidão de fãs ultrapassou o limite.
                      A multidão de fãs ultrapassaram o limite.

5. Coletivos partitivos

O verbo pode ser usado no singular ou no plural em coletivos partitivos, tais como “a maioria de”, “a maior parte de”, “grande número de”.

Exemplo:

Grande número dos presentes se retirou.
Grande número dos presentes se retiraram.

6. Expressões “mais de”, “menos de”, “cerca de”

Nestes casos, o verbo concorda com o numeral.

Exemplo:

Mais de uma mulher quis trocar as mercadorias.
Mais de duas pessoas chegaram antes do horário.

Nos casos em que “mais de” é repetido indicando reciprocidade, o verbo vai para o plural.

Exemplo:

Mais de uma professora se abraçaram.

7. Nomes próprios

Com nomes próprios, a concordância deve ser feita considerando a presença ou não de artigos.

Exemplo:

Os Estados Unidos influenciam o mundo.
Estados Unidos influencia o mundo.

8. Pronome relativo “que”

O verbo deve concordar com o antecedente do pronome “que”.

Exemplo:

Fui eu que levei.
Foste tu que levaste.
Foi ele que levou.

9. Pronome relativo “quem”

O verbo pode ser conjugado na terceira pessoa do singular ou pode concordar com o antecedente do pronome “quem”.

Exemplo:

Fui eu quem afirmou.
Fui eu quem afirmei.

Leia 40 maiores erros de português que você tem que deixar de cometer.

10. Expressão “um dos que”

Este é mais um dos casos em que tanto o verbo pode ser conjugado no singular como no plural.

Exemplo:

Ele foi um dos que mais contribuiu.
Ele foi um dos que mais contribuíram.

11. Sujeitos formados por sinônimos

O verbo tanto pode ir para o plural, como pode ficar no singular e concordar com o núcleo mais próximo.

Exemplo:

Preguiça e lentidão destacaram aquela gerência.
Preguiça e lentidão destacou aquela gerência.

12. Sujeito formado por palavras em graduação e enumeração

Este é mais um caso em que tanto o verbo pode flexionar para o plural, como também pode concordar com o núcleo mais próximo.

Exemplo:

Um mês, um ano, uma década de poder não supriu a saúde.
Um mês, um ano, uma década de poder não supriram a saúde.

1) Identifique e corrija o erro de concordância da propaganda a seguir:

O comércio e a CDL leva você ao Hopi Hari 
no dia das crianças.
Compre nas lojas participantes e concorra! 

2) Complete as frases com a opção correta:
a) _______ muitas pessoas na fila do banco. (Havia / Haviam)
b) Agora _____ sete horas (é / são)
c) Hoje ____ 20 de julho de 2014. (é / são)
d) Hoje ____ dia 10 de agosto de 2014. (é / são)
e) A professora estava ______ estressada ontem. (meio / meia)
f) Grande parte dos alunos ________ a favor da greve dos professores (foi / foram)
g) ___________ as chaves da biblioteca da escola. (Sumiu / Sumiram)
h) ________ com a verdade o menino e o amigo. (Faltou / Faltaram) 

Questionário

1) Marque a opção que completa corretamente a frase: “Já ___ anos, ____ neste local árvores e flores. Hoje, só ____ ervas daninhas.”
a) fazem/ havia/ existe
b) fazem/ havia/ existe
c) fazem/ haviam/ existem
d) faz/ havia/ existem
e) faz/ havia/ existe 


2)     Marque a frase inaceitável, do ponto de vista da concordância:
a) É necessária paciência.
b) Não é bonito ofendermos aos outros.
c) Cerveja é bom pra desestressar.
d) Não é permitido presença de estranhos.
e) Água de Melissa é ótimo para os nervos. 

3) Assinale a única alternativa em que a concordância verbal está inadequada segundo a gramática normativa:

a) ( ) A maioria das mulheres gosta de maquiagem.

b) ( ) 79% acredita na aprovação.

c) ( ) 1/3 da população votou nulo.

d) ( ) Cerca de duzentas pessoas reclamaram do serviço.

e) ( ) Mais de uma criança passou mal com a merenda.

4) . Assinale a frase correta.

a) Aluga-se casas.

b) Notam-se sinais de recuperação na economia.

c) No passado, não se recorriam aos processos como agora.

d) Precisam-se de vendedores.

e) Nenhuma das respostas

5. Assinale a alternativa cuja frase apresenta concordância correta, obedecendo à regra

empregada em “Chamou-se o veterinário oficial.”

a) Alugou-se imóveis novos.

b) Trataram-se de assuntos pouco usuais.

c) Indicaram-se as medidas cabíveis.

d) Presenciou-se cenas desagradáveis.

e) Precisam-se de balconistas com prática.

GEOGRAFIA

Padrão econômico mundial e suas contradições.

1º Momento: Questão Disparadora. Você sabe se o Brasil é membro de algum organismo internacional?

2º momento : Texto : As corporações e organismos internacionais na nova ordem econômica. 

As Nações Unidas são a principal referencia no numero de países conhecido pela maioria das pessoas, e desde 2011 com a entrada do Sudão  do sul a ONU considera que são 193 os países membros , considerados Estados soberanos com suas próprias fronteiras  e governos independentes. Nos 5 continentes espalhados pelo mundo temos países em vários níveis de desenvolvimento desde os mais pobres situados na parte sul da África  aos mais ricos e desenvolvidos como América do norte com Estados unidos e Canadá , Europa e Japão.

Os intermediários são considerados emergentes pois são países com características de países em desenvolvimento mas são nações industrializadas. Vamos falar um pouco dos mais importantes … Os Bric’s.

 BRICS é um agrupamento econômico atualmente composto por cinco países: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Não se trata de um bloco econômico ou uma instituição internacional, mas de um mecanismo internacional na forma de um agrupamento informal, ou seja, não registrado burocraticamente com estatuto e carta de princípios.

Em 2001, o economista Jim O´Neil formulou a expressão BRICs (com “s” minúsculo no final para designar o plural de BRIC), utilizando as iniciais dos quatro países considerados emergentes, que possuíam potencial econômico para superar as grandes potências mundiais em um período de, no máximo, cinquenta anos.

O que era, no início, apenas uma classificação utilizada por economistas e cientistas políticos para designar um grupo de países com características econômicas em comum, passou, a partir de 2006, a ser um mecanismo internacional. Isso porque Brasil, Rússia, Índia e China decidiram dar um caráter diplomático a essa expressão na 61º Assembleia Geral das Nações Unidas, o que propiciou a realização de ações econômicas coletivas por parte desses países, bem como uma maior comunicação entre eles.

A partir do ano de 2011, a África do Sul também foi oficialmente incorporada ao BRIC, que passou então a se chamar BRICS, com o “S” maiúsculo no final para designar o ingresso do novo membro (o “S” vem do nome do país em Inglês: South África).

Atualmente, os BRICS são detentores de mais de 21% do PIB mundial, formando o grupo de países que mais crescem no planeta. Além disso, representam 42% da população mundial, 45% da força de trabalho e o maior poder de consumo do mundo. Destacam-se também pela abundância de suas riquezas nacionais e as condições favoráveis que atualmente apresentam para explorá-las.

Origem dos blocos econômicos

A origem dos blocos econômicos remete ao contexto que sucedeu a Guerra Fria, quando a economia global ganhou uma nova fase de integração entres os países e uma nova ordem mundial se estabeleceu, o que gerou a globalização. Na tentativa de manter seus mercados funcionando, alguns países fizeram alianças para manter o funcionamento do seu comércio interno e externo.

Os blocos econômicos são associações entre países com vistas ao desenvolvimento econômico de todos os membros.

Os blocos econômicos consistem especialmente no processo de facilitação do desenvolvimento da atividade comercial entre os membros. Dessa forma, os países-membros realizam entre si a venda de produtos e permite o tráfego de informações, bens e pessoas, além de dificultaram a entrada de produtos de países que não são membros por meio da criação de barreiras comerciais.

Os primeiro blocos surgiram com a redução de tarifas comerciais. Com o tempo e a evolução do capitalismo, passou-se a observar novas características, como a eliminação completa de barreiras comerciais e alfandegárias, criação de tarifas para comércio com países não membros e vantagens para pessoas físicas e jurídicas no âmbito do desenvolvimento econômico e até social dos membros.

Tipos de blocos econômicos

 

  • União aduaneira: consiste numa zona de livre comércio com uma Tarifa Externa Comum (TEC), que é uma taxa que encarece os produtos de países que não são do bloco. Exemplos: Mercado Comum do Sul (Mercosul).
  • Zona de livre comércio: consiste na facilitação comercial com a eliminação de tarifas e barreiras alfandegárias, a fim de garantir o desenvolvimento econômico e comercial. Exemplo: Nafta (Tratado de Livre Comércio das Américas) e CAN (Comunidade Andina).
  • Mercado comum: é um bloco econômico com elevado padrão de integração, no qual há livro comércio e livre circulação de pessoas, informações, capitais e bens. Nesses blocos as fronteiras físicas praticamente inexistem. Exemplos: Mercado Comum do Sul (Mercosul).
  • União política e monetária: é uma integração ampla no campo econômico, com o desenvolvimento do comércio (importação e exportação) e do campo político – com políticas comuns adotadas entre os países –, além da criação e adoção de uma moeda única pelos membros. Exemplo: União Europeia.
  • Zonas de preferência tarifária: tipo de integração em que são adotadas vantagens tarifárias apenas a alguns produtos, para torná-los mais baratos para países não participantes do bloco. Exemplo: Aladi (Associação Latino-Americana de Integração).

Principais blocos econômicos

O surgimento dos blocos econômicos no capitalismo moderno colocou os países no sistema de concorrência global. Assim sendo, cada país integrante consegue participar da economia global. Em cada continente, cada região do mundo, há associações nesse formato.

Bandeira da União Europeia – maior bloco econômico do mundo.

Os principais blocos econômicos mundiais são:

  • União Europeia: formada por Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia e Suécia. Foi criada em 1957 e tem como principal função promover a livre circulação de pessoas e o desenvolvimento econômico entre os membros.
  • Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte): foi criado em 1994 e tem como objetivo central desenvolver o comércio entre Estados Unidos da América, México e Canadá.
  • Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo): formada pelos países que produzem e vendem petróleo a nível global: Argélia, Angola, Equador, Irã, Iraque, Kuwait, Líbia, Nigéria, Catar, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Venezuela. Sua criação se deu na década de 1960.
  • Apec (Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico): criada em 1989 e formada por Austrália, Brunei, Darussalam, Canadá, Indonésia, Japão, Malásia, Nova Zelândia, Filipinas, Cingapura, Coreia do Sul, Tailândia, Estados Unidos da América, China, Hong Kong, Taiwan, México, Papua-Nova Guiné, Chile, Peru, Rússia e Vietnã. Sua função central é promover uma área de desenvolvimento econômico e comercial entre os membros.
  • MCCA (Mercado Comum Centro-Americano): bloco fundado em 1960 que tem como membros Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua.
  • Comunidade Andina: formada pelos países da América Andina (Bolívia, Colômbia, Equador e Peru). O objetivo geral é desenvolver a economia, a política, os campos social e cultural através da integração dos países envolvidos.
  • Mercosul (Mercado Comum do Sul): formado por Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. Tem como principal função promover uma área de livre comércio, desenvolvimento social e econômico entre os membros, além de permitir a livre circulação de pessoas, mercadorias e bens de modo geral.
  • Tigres Asiáticos: criado na década de 1970, é formado por países da Ásia Oriental: Hong Kong, Cingapura, Coreia do Sul e Taiwan. Objetiva implementar barreiras alfandegárias e desenvolver novas tecnologias no processo competitivo mundial.
  • CEI (Comunidade dos Estados Independentes): formada por países que eram integrantes da URSS: Rússia, Bielorrússia, Ucrânia, Armênia, Azerbaijão, Cazaquistão, Moldávia, Quirquistão, Tadjiquistão, Uzbequistão e Turcomenistão. O bloco foi criado para integrar os países às lógicas econômicas mundiais após o fim da URSS.
  • SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral): criada em 1992, tem como membros: África do Sul, Angola, Botsuana, Lesoto, Madagascar, Malauí, Maurício, Moçambique, Namíbia, República Democrática do Congo, Seicheles, Suazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbábue. O principal objetivo é estabelecer a paz e a segurança na região.

Vantagens e desvantagens dos blocos econômicos

 

As principais vantagens de integrar um bloco econômico giram em torno do desenvolvimento econômico dos países, destacando-se o menor custo dos produtos, eliminação de tarifas de exportação e importação e o aumento gradativo do Produto Interno Bruto. Como economias independentes passam a integrar um sistema maior, estabelece-se uma associação de ajuda mútua, havendo maior facilidade de locomoção entre pessoas, bens e informações, políticas comuns de desenvolvimento econômico e social, entre inúmeros outros benefícios.

Dentre as desvantagens, podemos destacar a ausência de soberania nacional, enfraquecimento do multinacionalismo frente ao fortalecimento da economia regional, polarização das economias globais, falta de liberdade econômica das empresas em participar de mercados mais abrangentes e a possibilidade de países com economia frágil afetarem os mais desenvolvidos.

Todos esses fatores promovem nos membros maior ou menor impacto, depende do que se analisa no aspecto econômico do país. Alguns blocos, como a União Europeia, impõem aos membros a estabilidade econômica como política comum, para que esses aspectos não se tornem desvantagens para os membros, e sim vantagens.

Importância dos blocos econômicos

A importância dos blocos econômicos não se resume a estimular o comércio, seja ele interno, seja externo. Ao falarmos de globalização e dessas grandes transformações econômicas dos últimos anos, devemos entender como as economias capitalistas mudaram em prol do desenvolvimento econômico e social entre países. Houve um grande crescimento empresarial e industrial, com isso instituições empresariais ganharam mercado e influência a nível local, regional e global. As barreiras territoriais foram diminuindo, e as áreas de influência ampliaram-se significativamente. Essa importância não se restringe aos aspectos econômicos, pois é possível observar fatores sociais nessa dinâmica, como novas fontes de renda, emprego e padrões de vida que se estabelecem com o modo de vida capitalista globalizado. O consumo amplia-se, novas classes sociais se estabelecem, aparecem novas formas de viver o dia a dia, entre outros fatores. Todos esses elementos estão relacionados com as integrações feitas pelos blocos econômicos.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: