Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

ROTEIRO DE ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA E GEOGRAFIA 6º E 7º ANO

LÍNGUA PORTUGUESA

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0in 5.4pt 0in 5.4pt;
mso-para-margin-top:0in;
mso-para-margin-right:0in;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0in;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;
mso-fareast-language:EN-US;}

Meus queridos alunos, nessa semana vamos falar de um assunto muito importante no nosso dia-a-dia, na nossa cidade, nosso país e no mundo todo: o racismo !
Quanto à escravidão, então, nem tenho palavras… desde muito jovem, esse assunto me causou muita dor e muita revolta! Tenho para mim, que foi, depois do holocausto, a pior coisa pela qual a humanidade já passou! E, vergonhosamente, o Brasil foi o ultimo país
do mundo a abolir a escravidão.
Naquela época, muitos grandes talentos eram “encobertos” pelo simples fato de serem negros. Como sempre, o Brasil já tinha grandes talentos. Porém, os negros não tinham chance de manifestarem suas habilidades. Eles não tinham voz, não tinham vez!!!
Hoje, graças a deus, o mundo mudou, as pessoas já não fazem essa segregação com pessoas negras. Mas, o racismo não foi extinguido totalmente do mundo. Pelo
contrário!! Em algumas pessoas, esse preconceito ainda é intenso.
Mas, tem certas coisas que nem o maior preconceito, nem racismo, ninguém tira das pessoas: o talento!!
Hoje vamos conhecer um pouco da vida de um dos maiores autores do Brasil e um dos maiores do mundo (pra mim, o maior!): Machado de Assis!!!

Joaquim Maria Machado de Assis, nasceu no Rio de Janeiro lá também morreu, aos 69 anos. Seu pai era mulato e sua mãe, branca. Por ser muito pobre, sempre se esforçou muito para conseguir o que queria. E Conseguiu! Foi um dos fundadores da academia brasileira de letras, exerceu cargos públicos, trabalhou como cronistas em jornais e foi o autor de
centenas de obras literárias! Sofreu muito preconceito e discriminações racistas,
mas nunca se deixou abater, nem perdeu a esperança de realizar sues sonhos!!

Atividades

1) E você, o que acha do racismo? Você acha que ainda existe racismo no Brasil, no mundo ou no lugar em que você mora?
2) Você já sofreu algum tipo de preconceito (racial, social, religioso,etc…)?
3) Você acha que na época de machado de assis as coisas eram mais difíceis para pessoas negras? E atualmente, continuam difíceis também?
4) O que você faz para lutar contra o racismo?
5) O que as autoridades fazem para combater o racismo?
6) O que você acha que as autoridades e as pessoas em geral, poderiam fazer para combater o racismo?

GEOGRAFIA

Assunto principal: As comunidades Quilombolas.

Habilidades Entender as comunidades quilombolas como um processo de socialização dos negros escravos que tentaram viver em sociedade autônoma.

Quilombos: o que é? Quantos são ? Onde estão ?

Os quilombolas são habitantes de quilombos, um fenômeno típico do continente americano. Enquanto no período da escravidão o termo referia-se a escravos africanos e afrodescendentes que fugiram dos engenhos de cana-de-açúcar, fazendas e pequenas propriedades para formar pequenos vilarejos chamados de Quilombos.

Os Quilombos são áreas rurais, e sua população vivem de agricultura de subsistência, mantem viva suas manifestações culturais  e tem forte vinculo com o passado africano que é terra de origem de seus antepassados .  

No país são cerca de 1.209  comunidades certificadas  espalhadas pelo país, sendo que  as maiores comunidades de remanescentes quilombolas  estão localizadas  na Bahia 229, Maranhão 112, Minas gerais 89 e Pará 81. Como podemos perceber as maiores comunidades localizam se principalmente no nordeste e norte do país.

Vidas negras importam é o assunto discutido pela mídia depois que George Floyd foi morto pela policia norte-americana pelo fato de ser negro. Já os negros que vivem nessas comunidades vivem isolados e sua maioria vive da agricultura de subsistência e apesar de estarem longe das comunidades dos centros urbanos mantem ainda viva suas tradições ligadas a religião, dança, a musica, o artesanato e a culinária.

Quando falamos que vidas negras importam pensamos que os grupos quilombolas vivem isolados entre eles exatamente para não sofrerem discriminação do homem branco nas cidades e juntos em comunidade podem levar suas vidas mesmo que simplesmente e manter viva suas tradições.

Quilombolas Kalungas recebem viajantes na Chapada dos Veadeiros

Uma região de cerrado ao nordeste de Goiás, a Chapada dos Veadeiros é um importante Parque Nacional que conta com algumas das paisagens e atrações mais espetaculares do Brasil, como imponentes formações rochosas de mais de um bilhão de anos, piscinas naturais de águas quentes, cachoeiras de tons hipnotizantes, riquíssima flora e fauna, rios cristalinos e muito, muito mais.

No entanto, mesmo com toda essa exuberância da natureza, um dos principais e mais imperdíveis atrativos da Chapada envolve história e muita cultura pois trata-se da comunidade Kalunga, a maior comunidade de remanescentes de quilombolas de todo o país.

Crédito: Paulo de Araújo/Ministério do Meio Ambiente Área da comunidade Kalunga se estende por Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás, na região da Chapada dos Veadeiros

Os quilombos (ou quilombolas) são uma importantíssima parte da Chapada dos Veadeiros. Habitantes das comunidades e vilarejos há mais de 200 anos, em uma imensa área de mais de 230 mil hectares de cerrado protegido localizada próxima ao município de Cavalcante (que abrange cerca de 60% de todo o Parque da Chapada e serve como uma de suas principais portas de entrada), esses antigos escravos eram explorados e usados como mão-de-obra até escaparem dos cativeiros e fundarem o povo Kalunga.

Hoje, essas comunidades são mais de 20 no total e podem ser encontradas em mais de 40 locais diferentes dentro da área da Chapada dos Veadeiros, abrigando aproximadamente oito mil pessoas (mais de duas mil famílias), que atualmente sobrevivem com o turismo local e também suas próprias produções através da abundante natureza dessa região. E, graças a tudo isso, as comunidades Kalunga são oficialmente reconhecidas como patrimônio histórico e cultural brasileiro (Patrimônio Cultural Kalunga) e são protegidas pelo governo de Goiás.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: