Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

ROTEIRO DE ATIVIDADES DE ARTE E GEOGRAFIA 9º ANO

ARTE

Habilidade: (EF09AR19) Identificar e analisar diferentes estilos musicais em gêneros
da música popular brasileira e estrangeira, contextualizando-os no tempo e no
espaço, de modo a aprimorar a capacidade de apreciação da estética musical.
Habilidade Articuladora: (EF69AR31) Relacionar as práticas artísticas às diferentes
dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.
Tema/Conteúdo: Tema: Gêneros e movimentos musicais urbanos: O choro e suas
origens.

Momento 1
Atividade 1 – Leia o texto a seguir
Reconhecendo o Choro
Você já ouviu um bom Chorinho? Ernesto Nazareth foi um pianista e
compositor de bailes e saraus do final do século XIX e início do século XX,
nascido no Rio de Janeiro, que se tornou um dos grandes nomes da música
pela fusão de tangos, valsas e polcas na linguagem do choro.
Entendeu? Chorinho ou Choro é um gênero musical. O choro despertou
interesse especial em diversos compositores brasileiros e entre os
modernistas, especialmente Villa-Lobos.
Esse gênero tipicamente nacional surgiu em meados do século XIX, no Rio de
Janeiro, e introduziu na prática musical brasileira danças europeias, como a
mazurca, a polca, o schottische e a valsa. Desses encontros, surgiu uma
música saborosa na qual eram reservados solos, com frequência à flauta,
tendo o violão e o cavaquinho como acompanhamento. Depois foram
introduzidos ao choro o pandeiro e diversos outros instrumentos, como a
clarineta, o acordeon e o saxofone.
O choro tornou-se conhecido com sucessos de Chiquinha Gonzaga, como
“Corta jaca”; de Ernesto Nazareth, “Apanhei-te cavaquinho”; de Anacleto de
Medeiros e Catulo da Paixão Cearense, “Rasga Coração”; de Pixinguinha e
João de Barro, “Carinhoso”, e de Joaquim Antônio da Silva Calado e Catulo da
Paixão Cearense, “Flor amorosa”, considerado uns dos primeiros choros.
Texto adaptado: SANTOS, Joaquim. Telecurso: Música-Ensino Médio. Rio de
Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2008.

E. E. IRACEMA DE CASTRO AMARANTE PROFA

Momento 2 – Responda
Atividade1:Localize os nomes dos instrumentos musicais citados no texto.
Resp. ______________________________________________
Atividade 2: Pesquise os timbres dos instrumentos citados no texto?
Resp._______________________________________________
Atividade 3: O Choro é um gênero musical com forte ligação com a dança. Esta
música brasileira introduziu danças europeias em nosso país. Localize os
nomes das danças citados no texto.
Resp.______________________________________________
Atividade 4: Pesquise mais informações sobre as danças citados no texto, suas
características, regiões e épocas de origem.
Resp.______________________________________________
Atividade 5: Relacione os compositores da primeira coluna com seus
respectivos choros:
( 1 ) Anacleto de Medeiros e Catulo da Paixão ( ) Corta-jaca Cearense
( 2 ) Ernesto Nazareth ( ) Flor amorosa
( 3 ) Joaquim Antonio da Silva Calado e ( )Carinhoso Catulo da Paixão Cearense
( 4 ) Chiquinha Gonzaga ( ) Rasga coração
( 5 ) Pixinguinha e João de Barro ( ) Apanhei-te cavaquinho

Assista as obras citadas clicando em:
Rasga coração: https://www.youtube.com/watch?v=pDy_Mw7mhdc
Corta Jaca: https://www.youtube.com/watch?v= 4wfrA54BMZg
Flor amorosa: https://www.youtube.com/watch?v=nyDfmqzpklo
Carinhoso: https://www.youtube.com/watch?v=8IhqXDQkWpQ
Apanhei-te cavaquinho: https://www.youtube.com/watch?v=TwQFDvMydiU
Guarde suas respostas para o início e retorno das aulas.

GEOGRAFIA

Habilidades: Compreender o processo de globalização e suas interferências no mundo moderno, sua origem, suas consequências, e suas transformações econômicas. .

A globalização é um dos termos mais frequentemente empregados para descrever a atual conjuntura do sistema capitalista e sua consolidação no mundo. Na prática, ela é vista como a total ou parcial integração entre as diferentes localidades do planeta e a maior instrumentalização proporcionada pelos sistemas de comunicação e transporte.

Mas o que é globalização exatamente?

O conceito de globalização é dado por diferentes maneiras conforme os mais diversos autores em Geografia, Ciências Sociais, Economia, Filosofia e História que se pautaram em seu estudo. Em uma tentativa de síntese, podemos dizer que a globalização é entendida como a integração com maior intensidade das relações socioespaciais em escala mundial, instrumentalizada pela conexão entre as diferentes partes do globo terrestre.

Vale lembrar, no entanto, que esse conceito não se refere simplesmente a uma ocasião ou acontecimento, mas a um processo. Isso significa dizer que a principal característica da globalização é o fato de ela estar em constante evolução e transformação, de modo que a integração mundial por ela gerada é cada vez maior ao longo do tempo.

A globalização permite, em tese, uma maior integração entre as diferentes áreas do planeta.

Há um século, por exemplo, a velocidade da comunicação entre diferentes partes do planeta até existia, porém ela era muito menos rápida e eficiente que a dos dias atuais, que, por sua vez, poderá ser considerada menos eficiente em comparação com as prováveis evoluções técnicas que ocorrerão nas próximas décadas. Podemos dizer, então, que o mundo encontra-se cada dia mais globalizado.

O avanço realizado nos sistemas de comunicação e transporte, responsável pelo avanço e consolidação da globalização atual, propiciou uma integração que aconteceu de tal forma que tornou comum a expressão “aldeia global”. O termo “aldeia” faz referência a algo pequeno, onde todas as coisas estão próximas umas das outras, o que remete à ideia de que a integração mundial no meio técnico-informacional tornou o planeta metaforicamente menor.

A origem da Globalização

Não existe um total consenso sobre qual é a origem do processo de globalização. O termo em si só veio a ser elaborado a partir da década de 1980, tendo uma maior difusão após a queda do Muro de Berlim e o fim da Guerra Fria. No entanto, são muitos os autores que defendem que a globalização tenha se iniciado a partir da expansão marítimo-comercial

europeia, no final do século XV e início do século XVI, momento no qual o sistema capitalista iniciou sua expansão pelo mundo.

De toda forma, como já dissemos, ela foi gradativamente apresentando evoluções, recebendo incrementos substanciais com as transformações tecnológicas proporcionadas pelas três revoluções industriais. Nesse caso, cabe um destaque especial para a última delas, também chamada de Revolução Técnico-Científica-Informacional, iniciada a partir de meados do século XX e que ainda se encontra em fase de ocorrência. Nesse processo, intensificaram-se os avanços técnicos no contexto dos sistemas de informação, com destaque para a difusão dos aparelhos eletrônicos e da internet, além de uma maior evolução nos meios de transporte.

Portanto, a título de síntese, podemos considerar que, se a globalização iniciou-se há cerca de cinco séculos aproximadamente, ela consolidou-se de forma mais elaborada e desenvolvida ao longo dos últimos 50 anos, a partir da segunda metade do século XX em diante.

Aspectos positivos e negativos da globalização

Uma das características da globalização é o fato de ela se manifestar nos mais diversos campos que sustentam e compõem a sociedade: cultura, espaço geográfico, educação, política, direitos humanos, saúde e, principalmente, a economia. Dessa forma, quando uma prática cultural chinesa é vivenciada nos Estados Unidos ou quando uma manifestação tradicional africana é revivida no Brasil, temos a evidência de como as sociedades integram suas culturas, influenciando-se mutuamente.

Existem muitos autores que apontam os problemas e os aspectos negativos da globalização, embora existam muitas polêmicas e discordâncias no cerne desse debate. De toda forma, considera-se que o principal entre os problemas da globalização é uma eventual desigualdade social por ela proporcionada, em que o poder e a renda encontram-se em maior parte concentrados nas mãos de uma minoria, o que atrela a questão às contradições do capitalismo.

Além disso, acusa-se a globalização de proporcionar uma desigual forma de comunicação entre os diferentes territórios, em que culturas, valores morais, princípios educacionais e outros são reproduzidos obedecendo a

uma ideologia dominante. Nesse sentido, forma-se, segundo essas opiniões, uma hegemonia em que os principais centros de poder exercem um controle ou uma maior influência sobre as regiões economicamente menos favorecidas, obliterando, assim, suas matrizes tradicionais.

Entre os aspectos positivos da globalização, é comum citar os avanços proporcionados pela evolução dos meios tecnológicos, bem como a maior difusão de conhecimento. Assim, por exemplo, se a cura para uma doença grave é descoberta no Japão, ela é rapidamente difundida (a depender do contexto social e econômico) para as diferentes partes do planeta. Outros pontos considerados vantajosos da globalização é a maior difusão comercial e também de investimentos, entre diversos outros fatores.

É claro que o que pode ser considerado como vantagem ou desvantagem da globalização depende da abordagem realizada e também, de certa forma, da ideologia empregada em sua análise. Não é objetivo, portanto, deste texto entrar no mérito da discussão em dizer se esse processo é benéfico ou prejudicial para a sociedade e para o planeta.

Efeitos da Globalização

Existem vários elementos que podem ser considerados como consequências da globalização no mundo. Uma das evidências mais emblemáticas é a configuração do espaço geográfico internacional em redes, sejam elas de transporte, de comunicação, de cidades, de trocas comerciais ou de capitais especulativos. Elas formam-se por pontos fixos – sendo algumas mais preponderantes que outras – e pelos fluxos desenvolvidos entre esses diferentes pontos.

Outro aspecto que merece destaque é a expansão das empresas multinacionais, também chamadas de transnacionais ou empresas globais. Muitas delas abandonam seus países de origem ou, simplesmente, expandem suas atividades em direção aos mais diversos locais em busca de um maior mercado consumidor, de isenção de impostos, de evitar tarifas alfandegárias e de angariar um menor custo com mão de obra e matérias-primas. O processo de expansão dessas empresas globais e suas indústrias reverberou no avanço da

industrialização e da urbanização em diversos países subdesenvolvidos e emergentes, incluindo o Brasil.

Outra dinâmica propiciada pelo avanço da globalização é a formação dos acordos regionais ou dos blocos econômicos. Embora essa ocorrência possa ser inicialmente considerada como um entrave à globalização, pois acordos regionais poderiam impedir uma global interação econômica, ela é fundamental no sentido de permitir uma maior troca comercial entre os diferentes países e também propiciar ações conjunturais em grupos.

Por fim, cabe ressaltar que o avanço da globalização culminou também na expansão e consolidação do sistema capitalista, além de permitir sua rápida transformação. Assim, com a maior integração mundial, o sistema liberal – ou neoliberal – ampliou-se consideravelmente na maior parte das políticas econômicas nacionais, difundindo-se a ideia de que o Estado deve apresentar uma mínima intervenção na economia.

A globalização é, portanto, um tema complexo, com incontáveis aspectos e características. Sua manifestação não pode ser considerada linear, de forma a ser mais ou menos intensa a depender da região onde ela se estabelece, ganhando novos contornos e características. Podemos dizer, assim, que o mundo vive uma ampla e caótica inter-relação entre o local e o global.

RESPONDA:

  1. Sobre a economia globalizada:

a) Homogeneizou as culturas e reduziu as discrepâncias econômicas entre os países.

b) Integrou economias e possibilitou a difusão de hábitos dos lugares pelo mundo.

c) Deu visibilidade às minorias, a povos e culturas de recantos isolados do mundo.

d) Quase anulou a xenofobia e os conflitos étnicos e religiosos em todo o planeta.

2. O índio do Xingu, que ainda acredita em Tupã, assiste pela televisão a uma partida de futebol que acontece em Barcelona ou a um show dos Rolling Stones na praia de Copacabana. Não obstante, não há que se iludir: o índio não vive na mesma realidade em que um morador do Harlem ( New York ) ou de Hong Kong,

diferentes pessoas com a realidade do mundo moderno; isso porque o homem é um ser cultural, que se apoia nos valores da sua comunidade, que, de fato, são os seus. GULLAR, F. Folha de S. Paulo. São Paulo: 19 out. 2008 (adaptado).

Ao comparar essas diferentes sociedades em seu contexto histórico verifica-se que: a) Pessoas de diferentes lugares, por fazerem uso de tecnologias de vanguarda, desfrutam da mesma realidade cultural.

b) O índio assiste do futebol ao show, mas não é capaz de entendê-los, porque não pertencem à sua cultura.

c) Pessoas com culturas, valores e relações diversas têm, hoje em dia, acesso às mesmas informações.

d) Os moradores do Harlem ( New York ) e de Hong Kong, devido à riqueza de sua História, têm uma visão mais aprimorada da realidade.

e) A crença em Tupã revela um povo atrasado, enquanto os moradores do Harlem( New York ) e de Hong Kong, mais ricos, vivem de acordo com o presente.

Respondam :

1- Cite alguns exemplos positivos da globalização?

2- Cite alguns exemplos negativos da globalização?

3- Porque se fala em Aldeia Global?

4- Quais as características da globalização?

Bom trabalho a todos!!!

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: